25/03/2006 - Edios.

P.Gostaria de ter informações sobre genética.

Veja nessa seção:  CONSULTAS ON - LINE.

Os assuntos:

Carcaça dos Suínos.
Caruncho Carunchinho
Casco de Burro
Duroc
Javaporco

Principais Raças

Raça Hampshire
Raça Piau
Raça Pirapitinga
Raça Sorocaba

Raças no Mundo

Raças Nacionais e Importadas

Raça Wessex
Suinos Raça Tatu
Suinos Light

Pesquisando nos assuntos acima, tenho certeza que poderá ilustrar bem o teu trabalho sobre GENÉTICA.

A respeito do assunto GENÉTICA, em suínos, poderíamos resumir o seguinte:

Falar sobre a origem, história e classificação do suínos.

O suíno, um artiodáctilo monogástrico, pertencente ao gênero Sus,   e encontramos duas teorias predominantes:

1) Boa parte dos melhoristas aceitam a procedência do suíno ou javali europeu, Sus scrofa ferrus, baseado em três argumentos.

Caracteres de crânio, coluna vertebral idêntica, caracteres externos

2) A extrema hegemonia e a fecundidade entre todas as formas porcinas domésticas ou selvagens, permitem concluir, que se trata de uma derivada da outra, devido a encontro de fósseis de duas espécies do gênero, Sus. O Sus indicus seria o acestral do Sus vittatus.

Provavelmente os cruzamentos de espécies, Sus scrofa e o Sus indicus, deram origem ao grande número de raças existentes atualmente.

Atualmente, baseado nas suas origens, se distinguem três tipos de suínos domésticos:

1) Céltico: de perfil côncavo, orelhas longas, grosseiras e caídas, fronte larga e chata (Sus scrofa ).

2) Asiático: de perfil ultraconcavilíneo, orelhas curtas e eretas, fronte plana e larga

( Sus vittatus ).

3) Ibérico: de perfil subcôncavo, orelhas médias e horizontais e de fronte estreita

( Sus mediterraneus ).

A domesticação do suíno é antiguissima, por volta de 5 a 6 mil anos antes de Cristo, realizada pelos chineses

Desde a sua domesticação, até o dia de hoje, os suínos sofreram grandes transformações morfológicas e fisiológicas, em virtude das diferentes condições em que viveram e das necessidade do homem, em relação ao seu aproveitamento.

Inicialmente o javali, selvagem que vivia nas florestas, se alimentavam de arbustos, pastos, frutos, e até pequenos animais. Sua defesa e ataque eram os dentes, e sua cabeça avantajada. Muito veloz, e ágil para fugir dos seus predadores naturais. Possuia cabeça, torax, e membros anteriores bem desenvolvidos, com boa caixa toráxica, permitia boa oxigenação, e ótima capacidade respiratória, que permitia longas caminhadas e corridas. E membros posteriores leves e pequena massa muscular na traseira. Em termos de percentagem, 70% da massa muscular anterior e 30% da massa muscular posterior.

Com a sua domesticação, passou a ser alimentado pelo homem, passou a viver ao redor das habitações, e depois preso, mudou sua conformação corporal, distribuindo sua massa muscular em 50% / 50% dianteiro e traseiro. Era o animal ideal para o homem devido sua distribuição de carne e gordura por todo o corpo. Tinha um crescimento tardio, e baixa profilicidade. O suíno contemporâneo tem uma massa muscular distribuída 70% traseira e 30% dianteira, para permitir melhores cortes e aproveitamento da carcaça das partes mais nobres ( traseiro ), lombo. pernil etc . . .

Nos últimos 100 anos deixamos de criar " porcos " tipo banha,  e passamos a criar suínos tipo carne melhorados, com melhor ganho de peso, mais prolífico.

A cadeia da produtividade na suinocultura, está firmada em:

Genética.

Sanidade.

Nutrição.

Manejo.

Instalações.

O mercado consumidor procura cada vez mais:

Suínos tipo carne, Animais cruzados, Qualidade de carcaça, Suínos Muscular, Qualidade de carne.

A genética, nos últimos 100 anos, modificou totalmente os suínos de hoje, deixando-o mais produtivo, maior numero de leitões, por matriz ano, maior ganho de peso, melhor conversão alimentar.

Veja ainda na nossa pagina :

INFORMATIVO TÉCNICO:

40 Tabela de desempenho de cevado.


<--Voltar