22/06/2001 - Bernini, Curitiba - PR

P.Gostaria de maiores informações sobre uso de silagem de grão de milho úmido na alimentação de suinos.

R.Vem crescendo a utilização da silagem de grão de milho úmido, em diversas granjas de suínos na região do Brasil Central.

E devemos enaltecer inicialmente as vantagens da sua utilização, quando comparadas com o uso de milho em grãos triturado com 12% de umidade.

Diminui o custo de produção de suínos em até 20%. Menor utilização de armazenamento de milho, nas fábricas de ração. Menor custo de frete, impostos, carga e descarga, além dos desperdícios, na movimentação. uma vez que o milho em grão, normalmente sai da propriedade, vai para armazéns na cidade, passa por secadores e depois volta mais caro.

O silagem de milho úmido não sofre ataques de pragas que ocorrem no milho em grão armazenado, e ainda o ataque dos ratos. Nenhuma ocorrência de fungos e micotoxinas, presentes no milho em grão, ainda na lavoura, nos últimos dias que antecedem a colheita. Com o uso da silagem do milho úmido em grão, não precisamos de silos e grandes armazéns, para estocar o milho da granja.

Nas granjas onde usamos silagem de milho úmido, não temos problemas de diarréias, nenhum problema de animais com doença do Edema, e o desaparecimento por completo dos problemas de Encefalite, e uma diminuição de mais de 90% dos problemas de corrimentos vulvares nas matrizes.

Melhora a palatabilidade, produção de leite das matrizes, e melhor conversão alimentar. Colheita mais precoce, com milho ainda verde, desocupando a área para um novo plantio, ( safrinha ). Outra grande vantagem é que a silagem de milho úmido em grão, é que pode ser usada nas rações para suínos, bovinos de leite, confinamento e até aves de corte ou postura.

As desvantagens são:

O milho deve ser plantado o mais próximo possível da granja, uma vez que não deveremos transportar a silagem por distâncias muito longas, pois corremos o risco do inicio de um processo de fermentação. A outra desvantagem é que a ração da granja, deverá ser feita de preferência todo dia, sempre com silagem de milho úmido em grão, sempre fresca, no máximo para consumo em 24 horas.

O processo para a produção da de grão de milho úmido, poderá diminuir bem o custo de produção, e os fatores que poderão afetar este custo são: Eficiência de produção de milho na lavoura, a alta produtividade diminui o custo da silagem. Bem como a colheita antecipada em 3 a 4 semanas, diminui também o custo.

O milho deverá ser colhido, quando a umidade estiver entre 30 a 35% de umidade, após a colheita, com colhedeira convencional, regulada adequadamente, este milho em grão úmido com 32% de umidade deverá ser triturado, bem fino, e ou de preferência laminado, e imediatamente ensilado ( da mesma maneira que se faz silo com a planta ) só que desta vez ensilaremos somente o grão úmido triturado bem fino. O processo de compactação deste material no silo, deverá ser em camadas finas de no máximo 20 centímetros, e de preferência vá ensilando em camadas em cunha, que no fundo do silo, estará cheia até a borda do silo e na frente do silo estará mais fina a camada e muito bem compactada, isto quando utilizarmos os silos trincheira, mas podemos ainda usar os silos aéreos, subterrâneos, armazenar em bag's. O segredo e a moagem o mais fino possível ou até a laminação, já existe equipamentos disponíveis no Brasil. E evidentemente a compactação da silagem no silo, que se for bem feita poderá conserva o material por mais de 5 anos sem problema. Normalmente a silagem está pronta, para ser usada por volta de 30 a 40 dias após a compactação e fechamento do silo.

Quando chegar o momento de usar, deveremos tirar do silo a quantidade que gastaremos diariamente para produzir as rações daquele momento e fechar muito bem o silo.

Veja nas fórmula abaixo para uso da silagem de milho úmido em grão, no exemplo da ração Pré-Inicial. Onde faremos uma batida de 100 Kg de ração, gastaremos 45% de silagem de milho úmido em grão, veja também os níveis nutricionais das rações de todas as fórmulas do exemplo que segue, assim como os custos de produção destas rações, considerando os custos de ingredientes no dia 21/06/2001.

Programa Maxi de Nutrição (Rações Suínos)

Ingredientes Pré Inicial Inicial I Inicial II Recria Terminação
Far.Soja 45/80 26 28 31 28 24
Açucar 5 5 4 - -
Silagem de Milho 45 51 59 69 73,5
MS.Pré Inicial 240 24 - - - -
MS.Inicial 160 - 16 - - -
MS.Inicial 60 - - 6 - -
Maxiceva 30/25 - - - 3 2,5
TOTAL KG 100 100 100 100 100
Níveis Nutricionais
Proteína % 19.083 19.000 19.000 17.100 15.568
Gordura % 3.326 2.667 2.379 2.236 2.420
Fibra % 3.117 3.430 3.842 3.881 3.711
Cálcio % 0.955 0.989 0.919 0.876 0.736
Fósforo % 0.661 0.669 0.637 0.501 0.461
Ed.Suínos Kcal/Kg 3161.038 3066.829 2948.843 2847.036 2835.495
Em.Suínos Kcal/Kg 2987.586 2910.558 2842.820 2749.081 2738.634
Lisina % 1.350 1.354 1.259 0.980 0.870
Ingredientes Pré-Lactação Gestação Lactação
Farelo Trigo 14,5% 18 27 6
Far.Soja 45/80 22 14,5 30
Açucar 2
Óleo Degomado 2 2
Silagem de Milho 54 55 56
N.Maxireprodução 4 3,5 4
TOTAL/KG 100 100 100
Níveis Nutricionais
Proteína % 16.122 14.076 18.232
Gordura % 4.356 2.711 2.312
Fibra % 4.637 4.912 4.303
Cálcio % 0.977 0.857 0.986
Fósforo % 0.686 0.711 0.618
Ed.Suínos Kcal/Kg 2813.937 2626.987 2803.716
Em.Suínos Kcal/Kg 2711.581 2527.821 2704.458
Lisina % 0.880 0.710 1.050


<--Voltar